Os Sumérios e os Egípcios encaravam a Astrologia como uma extraordinária ferramenta de auto-ajuda na evolução espiritual do homem na própria Terra (na  Roda das Almas).

Os sacerdotes egípcios dividiram em doze constelações os astros fixos do zodíaco.

Cada uma dessas constelações determinava, no indivíduo que nascia sob a sua influência, um factor social, em particular.

Para além disso, eles ligavam as constelações aos planetas, combinando a acção das constelações e dos planetas.

Estabeleceram, igualmente, uma estreita relação entre as constelações e o corpo humano.

Assim, cada parte do corpo recebia a influência da constelação apropriada e do planeta associado.

SIGNO            PLANETA    FACTOR SOCIAL DETERMINADO    PARTE DO CORPO

Carneiro          Marte        Vontade, ardor juvenil,                           Cabeça

Touro              Vénus         Perseverante, possessivo, lascivo     Costas

Gémeos          Mercúrio   Instabilidade, duplicidade, vivacidade de espírito  Braços

Caranguejo    Lua             Inquietude, melancolia, fidelidade                      Peito

Leão                 Sol              Coragem, domínio, comando                                    Rins

Virgem             Mercúrio  Moderação, sentido prático                                   Ventre

Balança           Vénus        Equilíbrio/Desequilíbrio                                           Coluna vertebral

Escorpião         Marte       Reserva, ciúme, resistência                                    Órgãos reprodutores

Sagitário          Júpiter       Energia, paixão, tenacidade                                   Coxas

Capricórnio   Saturno             Ambição, vaidade,              Joelhos

Aquário          Júpiter         Sentido do dever, altruísmo, benevolência    Pernas

Peixes          Saturno       Espiritualidade, fantasia                                                Pés

Para esta análise comparativa entre símbolos intuitivos Lenormand e Correspondências Astrológicas, vamos utilizar os princípios básicos dos conceitos Sumérios e egípcios.

1 O CAVALEIRO ou o símbolo intuitivo para Movimento

Associado a Aquário, Elemento Ar, com regência de Júpiter.

Júpiter em Aquário: Influência benéfica, profundidade de sentimentos, desapego dos bens materiais.

Entidades: Ausar, Auset e Hapi (Egipto), Gilgamesh e Utnapishtim (Suméria).

Para os egípcios Aquário representava o poder espiritual vital que renovava e fertilizava todas as coisas.

Para os sumérios Aquário também tinha poderosas associações; estava relacionado com Gilgamesh e Utnapishtim (este último, serviu de inspiração literária para a figura de Noé).

Para os sumérios o planeta Júpiter era conhecido como MARDUK (que é representado pela lâmina número VII no TAROT).

2 O TREVO ou o símbolo intuitivo para Probabilidades

Associado a Sagitário, Elemento Fogo, com regência de Júpiter.

Júpiter em Sagitário: Bondade generosa ou paternal.

Para os egípcios, Sagitário era um signo de guerra, pois a lua cheia nesse signo (em Junho) marcava a época em que os exércitos imperiais começavam a marchar além fronteiras.

Para os sumérios o planeta Júpiter era conhecido como MARDUK (que é representado pela lâmina número VII no TAROT).

3 O NAVIO ou o símbolo intuitivo para Novas Oportunidades

Associado a Carneiro, Elemento Fogo, com regência de Júpiter.

Júpiter em Carneiro: Euforia e optimismo. Sentido criativo para obras de grande envergadura e/ou para acções grandiosas.

Este signo é um conceito inteiramente egípcio. Este era o signo do mês das cheias do rio Nilo, quando os fazendeiros afastavam os seus rebanhos das águas que subiam e separavam os carneiros das ovelhas.

Para os sumérios o planeta Marte era conhecido como Nergal, que era o nome da entidade invocada pelos guerreiros durante as batalhas. Nergal também representava o sol do meio-dia que castigava a terra e queimava a pele dos sumérios.